NELA – Núcleo de Estudos em Linguística Aplicada
  • Trabalho de IC do NELA é escolhido para representar o Departamento de Língua e Literatura Vernáculas no Seminário de Iniciação Científica – SIC/2016

    Publicado em 22/10/2016 às 23:38

    O trabalho de Luan Koroll, aluno de IC/PIBIC/CNPq do NELA e orientando do professor Rodrigo Acosta Pereira, foi escolhido para representar o DLLV nas mostras do SIC-2016, que ocorreram de 20 a 22 de outubro, durante a 15ª Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão – SEPEX/UFSC.

    http://pibic.propesq.ufsc.br/2016/10/17/chamada-para-apresentacoes-orais-do-sic-2016/


  • Linguagem, sujeito, autoria: vídeo sobre leitura e produção textual na universidade

    Publicado em 29/09/2016 às 12:17

    O audiovisual é uma produção do LABEAL (Laboratório de Leitura e Produção Textual na Universidade), projeto que integra o NELA/UFSC e que tem coordenação do professor Sandro Braga.

    Em pouco mais de 4 minutos, Maíra Sevegnani, bolsista do projeto, faz uma leve e esclarecedora exposição sobre as práticas de linguagem na universidade, sobre o funcionamento do LABEAL, e também sobre os resultados das pesquisas realizadas no local.


  • POSIÇÃO DO NÚCLEO DE ESTUDOS EM LINGUÍSTICA APLICADA DA UFSC SOBRE A MEDIDA PROVISÓRIA DE REFORMA DO ENSINO MÉDIO

    Publicado em 27/09/2016 às 11:30

    O Núcleo de Estudos em Linguística Aplica (NELA/UFSC) vem a público se manifestar veementemente contra a Medida Provisória 746 de 22 de setembro de 2016, que trata da reforma do Ensino Médio.

    Desde sua fundação o NELA tem se voltado, centralmente, na pesquisa e na extensão, para os temas do ensino e da aprendizagem de Língua Portuguesa e da formação de professores desse componente curricular. E essa história autoriza-nos a questionar o modo como a reforma do Ensino Médio está ocorrendo, através de Medida Provisória, desconsiderando o debate e a participação de setores da sociedade envolvidos com o tema.

    Não bastasse esse açodamento arbitrário da forma, rechaçamos também o conteúdo exposto na MP 746, que estabelece um Ensino Médio tecnicista e excludente. No dia 22 de setembro, com essa medida, o Brasil foi lançado de volta ao modelo de Ensino Médio da ditadura civil-militar, retornando a uma escola que reduz o conteúdo humanístico, cultural e reflexivo para propor uma formação mediana e medíocre, voltada unicamente para o mercado de trabalho. Vislumbra-se aí o projeto de se criar para o pobre uma escola superficial, alijada da reflexão, e isso se verifica: 1) na eliminação de componentes curriculares fundamentais (como a Arte e a Educação Física) e no cerceamento de outros componentes (como a História, a Sociologia e a Filosofia); 2) na redução do tempo de formação básica (a um ano e meio), tempo esse subtraído para os percursos formativos que, a bem da verdade, serão reduzidos a um único percurso na maior parte das escolas (e provavelmente, o de Formação Técnica e Profissional); e 3) na diminuição ainda maior do tempo de contato dos/as estudantes com temas fundamentais, face ao aligeiramento da formação mediante o aproveitamento de experiências profissionais e atividades a distância como parte dos créditos.

    Trata-se de uma proposta de escola que superficializa a educação e que, em detrimento de experiências mais robustas de aprendizagem e reflexão, reforça a ideia de que a educação consiste apenas em uma habilitação para o mercado de trabalho. Daí a MP trazer a proposta de existência de certificados intermediários, e que, na verdade, apenas irão criar a ilusão de muitos titulados e de maior formação, mas que se trata efetivamente de “ilusão”, pois essa titulação ocorrerá, na realidade, em detrimento dos necessários aprofundamentos de saberes. A obrigatoriedade do inglês também representa um foco estreito no mercado, com a limitação cultural dos/as estudante a uma única língua estrangeira, representando, além disso, uma imposição cultura e ideológica e o enfraquecimento de políticas linguísticas de integração dos povos da América do Sul.

    O fato de se aceitar um professor com “saber notório”, sem diploma de licenciatura, também contribuirá para o enfraquecimento das licenciaturas e para o desprestígio da profissão, fazendo supor que não há a necessidade de formação docente ou que essa formação não tem função ou valor.

    Todas as flexibilizações, eliminações, distorções, e superficializações impostas por essa MP também abrem um amplo espaço para a desestruturação do ensino público e para a privatização do sistema, senão diretamente, pela entrada de organizações sociais de gestão, pela compra de serviços prestados por empresas e pela intervenção de poderosas ONGs empresariais nas escolas.

    Por todos esses motivos, o NELA rechaça a MP 746 e cobra mais seriedade do Governo Federal no trato das instituições públicas, exigindo a cancelamento dessa medida e a continuidade do processo efetivamente democrático de discussão do Ensino Médio.


  • NELA/UFSC promove palestra como parte dos debates e manifestações do dia 22/09 – Dia Nacional de Paralisação

    Publicado em 20/09/2016 às 23:45

    NELA/UFSC promove palestra atrelada aos debates e manifestações do dia 22/09 - Dia Nacional de Paralisação


  • Debates do NELA/UFSC tematizaram o golpe

    Publicado em 27/06/2016 às 12:21

    O V Ciclo de Debates do NELA/UFSC, que tematizou o golpe de 2016 no Brasil e os discursos que lhe deram sustentação, ocorreu no último dia 07/07, no auditório Henrique Fontes.

    Proferiram palestras a professora Débora Figueiredo (DLLE/UFSC), a acadêmica Lúcia del Corso (representante do Centro Acadêmico Livre de Letras) e os professores do Núcleo, Rosângela Hammes Rodrigues, Marcos Baltar, Atílio Butturi Jr. e Adair Bonini.

    ciclo Nela 5 (1)ciclo nela 5 (3-2)

    (Butturi Jr., Figueiredo, Bonini, del Corso, Baltar, Rodrigues)

     

    V ciclo Nela_cartaz_NOVO 2


  • EVENTO

    Publicado em 22/04/2016 às 15:57

    Evento

     

    PRIMEIRA CIRCULAR – XI CONSIPLE


  • Lançada atualização da Proposta Curricular de Santa Catarina

    Publicado em 01/12/2014 às 21:23

    Prezados membros do NELA e visitantes desta página…

    Imagem

    Temos o prazer de anunciar o lançamento oficial da atualização da PROPOSTA Curricular de Santa Catarina. Você pode ler, abaixo, o documento na íntegra.

    Proposta_Curricular de Santa Catarina

    Postada, também a seguir, MOÇÃO escrita por professores participantes do processo de produção do texto em favor de condições infra-estruturais para a implementação do conteúdo do documento.

    Mocao Coletiva do Grupo de Producao